【RINITE E SINUSITE】Remedio Caseiro Sinusite dor Cabeça

Rinite e Sinusite

O que são rinite e sinusite?

Remedio Para Rinite. As narinas são duas cavidades separadas pelo septo nasal e desempenham funções do olfato, porque nele os bulbos olfativos estão localizados, modulando de voz, uma vez que eles atuam como uma caixa de ressonância.

A regulação do fluxo de ar em inspiração controla não só a sua pressão de entrada, mas também as condições de umidade, temperatura e grau de pureza (aprisionando impurezas com o muco nasal e cílios, que são encontrados parcialmente no ar).

Estas cavidades são cobertas com uma mucosa e quando está inflamada, por qualquer motivo, estamos falando de rinite alérgica.

A rinite e sinusite pode ser aguda ou crônica.

Os seios paranasais são cavidades ósseas que se ligam com as fossas nasais e são cobertas com uma mucosa semelhante à que as cobre.

Ao nascimento, existem apenas os dois etmoides:

– Frontais, que aparecem por volta dos vinte anos; quando os dentes do siso e os dentes esfenoides são os mais recentes.

Elas drenam os meatos médios (os seios maxilares, frontal e parte anterior do etmoide).

– Superiores (os seios esfenoidais e a parte posterior do etmoide).

Quando ocorre uma inflamação do tecido mucoso que cobre os seios, em geral por uma obstrução das vias de drenagem, ocorrendo a sinusite.

 

→ PRINCIPAIS DICAS FINAL DO ARTIGO

[infografico]

 

Quer ver depoimentos e dicas sobre Rinite Alérgica

Deixe seu comentário no vídeo abaixo!

Trabalhamos com amor e dentro do possível seu comentário será respondido!

Este conteúdo não substitui uma consulta medica!

#dietablogbr

 

(VÍDEO) → 5 Remédios Naturais Para Curar a Rinite Alérgica

[adsgrande]

 

Sintomas e tipos de rinite e sinusite

A rinite é causada por uma inflamação da mucosa nasal.

A causa mais comum é geralmente a rinite não especificamente aguda, isto é, secundária a uma condição catarral comum, que também é chamada de coriza.

A causa principal é uma infecção viral, especialmente aquela causada por um rinovírus.

Frio, alta umidade e obstrução nasal são os principais fatores que predispõem à rinite aguda inespecífica.

O contágio é geralmente aéreo ou direto, através das gotículas de saliva que são geradas ao falar.

A rinite crônica pode ser diferenciada pelas seguintes causas:

 

– Rinite alérgica sazonal

Causada por alergia a diferentes polens e também afeta a mucosa conjuntival, faríngea e brônquica.

Tem um caráter familiar e ocorre ciclicamente, especialmente na primavera e no verão.

 

– Rinite alérgica perene

Mantida durante todo o ano e causada por ácaros, pelos de animais e certos alimentos.

Há um histórico familiar, bem como uma reatividade a fatores inespecíficos, como temperatura, umidade ou contaminação.

 

– Rinite perene intrínseca

Sem causa alérgica, mas com implicação de glóbulos brancos eosinofílicos.

 

– Rinite colinérgica ou vasomotora perene

Não há desencadeantes ou participação de eosinófilos, devido ao envolvimento do sistema nervoso parassimpático.

 

– Rinite hipertrófica

Devido a infecções crônicas. Ao evoluir, pode atingir um estado de atrofia da mucosa nasal, que é conhecida como ozena.

 

– Rinite seca anterior

Com atrofia moderada predominando na parte anterior das fossas nasais.

Existem doenças que podem apresentar-se como um dos sintomas de rinite, tais como:

– Tuberculose

– Granulomatose de Wegener

– Sífilis

– Sarcoidose

– Infecção por HIV

– Lepra.

Nos adultos, os seios maxilares são os mais frequentemente acometidos, seguidos pelos etmoidais, frontais e esfenóides.

Em crianças, apenas os seios etmoidais podem ser infectados.

Quando um bloqueio da via de drenagem dos seios para as narinas ocorre, diminui a pressão do oxigênio na mesma, o que favorece a proliferação de bactérias e a ocorrência de sinusite.

O frio, a umidade e a contaminação diminuem o movimento dos cílios, o que predispõe à entrada de bactérias e sua reprodução nos seios.

Outras alterações, como pólipos nasais, desvio do septo nasal ou doenças como o diabetes, também podem favorecer a existência de sinusite.

A sinusite pode ser aguda ou crônica, sendo a principal causa de sinusite aguda a infecção bacteriana, principalmente por bactérias do tipo cocos e influenza H.

Em pacientes imunocomprometidos, infecções fúngicas como aspergilose ou mucormicose devem ser consideradas como possíveis causas.

Sinusite crônica é geralmente unilateral, geralmente por alteração de um dente que irrita o assoalho dos seios.

 

Sintomas de rinite e sinusite

Rinite é caracterizada pela presença de congestão nasal, rinorreia, ou seja, muco abundante, geralmente aquoso e inicialmente mais espesso, se o processo é alongado.

– No caso da rinite crônica, ataques de espirros podem ocorrer, especialmente na rinite alérgica, onde há obstrução nasal, prurido nasal e ocular, que são escassos na rinite vasomotora intrínseca ou nivelada.

Há também uma diminuição na capacidade olfativa (hiposmia) ou seu cancelamento total (anosmia).

– Na rinite intrínseca, observam-se pólipos nasais, muito raros nos demais casos.

– Na rinite seca anterior há ressecamento nasal nos 2/3 anteriores da fossa nasal, o que também é observado nos casos de Ozena.

Em ambos os casos, podem ocorrer formação de crostas nasal que podem sangrar e pode produzir um odor estranho no caso de ozena, que é conhecido como cacosmia, um odor que o paciente não percebe.

– A sinusite aguda causa:

  • Dor ao nível do seio afetado
  • Obstrução nasal
  • Inflamação facial
  • Anosmia
  • Rinorreia mucopurulenta
  • Congestão da mucosa.

A dor muda com mudanças na postura, intensificando-se com o aumento da pressão no seios afetado.

O envolvimento do maxilar produz dor abaixo do olho, que aumenta quando a cabeça é dobrada.

– A sinusite etmoidal causa dor entre os olhos e a raiz do septo nasal.

– Sinusite frontal produz uma dor frontal que aumenta ao pressionar o canto interno dos olhos e diminui ao longo do dia.

– A sinusite esfenoidal nunca ocorre isolada e causa dor atrás dos olhos ou no centro da cabeça.

– A sinusite crônica produz mais sintomas sobrepostos, com rinorreia e sem dor de cabeça.

 

Diagnóstico de rinite e sinusite

O diagnóstico de rinite é baseado no exame clínico e físico.

Na rinite alérgica e intrínseca, percebe-se uma mucosa nasal pálida visível, enquanto na rinite vasomotora ela será congestionada, vermelha.

Em caso de suspeita de uma causa alérgica, as baterias de teste devem ser feitas para determinar os alérgenos.

No exame de sangue, a elevação de IgE será observada na rinite alérgica.

Se não houver elevação de IgE, os eosinófilos estarão elevados na rinite intrínseca, enquanto seus valores serão normais na rinite vasomotora ou colinérgica.

Sinusite é diagnosticada com base nos sintomas do paciente, exame físico e radiografias em diferentes projeções que nos permitem apreciar os seios paranasais e ver se eles são ocupados por material mucopurulento.

 

Rinite e sinusite tratamento

O tratamento da rinite será geralmente sintomático, com hidratação abundante para fluidificar as secreções mucosas, descongestionantes nasais e apiréticos se houver febre.

O tratamento escolhido na rinite alérgica são os anti-histamínicos, além de evitar a exposição aos alérgenos causadores.

– A rinite intrínseca geralmente responde bem aos corticosteroides tópicos, enquanto o vasomotor responde apenas parcialmente.

– A rinite seca sintomas deve ser tratada com lavagens com soro fisiológico para hidratar as passagens nasais e pomadas oleosas.

Se houver uma hipertrofia muito marcada ou grandes pólipos podem recorrer à cirurgia.

– O tratamento da sinusite aguda terá como base o tratamento anti-inflamatório e antibiótico durante cerca de 10 dias, sendo tratado com amoxicilina com ácido clavulânico.

– Se ocorrer sinusite maxilar que não responda ao tratamento, a drenagem cirúrgica dos seios pode ser considerada.

– Sinusite crônica é tratada com corticosteroides tópicos, principalmente budesonida ou fluticasona.

Se o tratamento farmacológico não for suficiente, uma intervenção cirúrgica pode ser realizada, ampliando os orifícios de drenagem dos seios afetados.

 

Medidas preventivas contra rinite e sinusite

– Evite a exposição a alérgenos

– Mantenha a higiene adequada nas passagens nasais, evitando ambientes com muita fumaça e poluição.

– Tome precauções higiênicas quando em contato com pessoas com doenças respiratórias.

ATUALIZADO: 21.05.18